Vestibular

A nova rede de mundos virtuais, Metaverso, vem sendo explorada por acadêmicos do curso de Arquitetura e Urbanismo da Católica de Pelotas (UCPel). Espaços do Campus I, como o hall de entrada, as salas C407, C410, o Lounge e a Maquetaria estão sendo construídos na modelagem 3D. Ainda, o grupo de alunos trabalha nos modelos da Catedral de Pelotas e o Memorial Eládio Dieste, prédio que abriga o Pelotas Parque Tecnológico.

Pela relevância do tema, o trabalho obteve destaque durante a realização do Salão Universitário da UCPel. Responsável pela apresentação, o acadêmico Matheus Azevedo, mostrou como vem sendo o processo de estudo e o estágio em que se encontra a proposta. 

“Por se tratar de um modelo 3D, que necessita de alto poder computacional, os espaços são feitos separadamente. Cada sala possui seu protótipo e ingresso individual para também permitir acesso àqueles que possuem restrições de hardware”, explica. Conforme o acadêmico, a comunicação entre espaços é feita através de portais, facilitando a navegação com o carregamento de modelos menores e menos complexos. 

Orientador das atividades, o professor Ricardo Brod, conta que as experiências começaram no mês de julho, por provocação da aluna da disciplina de Gráfica Digital II, Julia Corvelo. “Utilizamos os conhecimentos estudados nas disciplinas de Gráfica Digital – modelagem geométrica e fotogramétrica, visualização em Realidade Virtual e Aumentada – para este propósito”, conta.

Além da Júlia e Matheus, os alunos Juliano Schimithes e Felipe Chaux também integram o grupo. Atualmente, eles trabalham na centralização dos espaços virtuais em uma única conta para divulgá-la à comunidade através de link público.

 

Representação visual no Metaverso 

Para ambientar a instituição no Metaverso, os alunos utilizaram equipamentos de realidade virtual. “Também fizemos testes para verificar quais plataformas eram mais acessíveis a um maior número de pessoas e para ver como poderíamos trazer essa experiência digital para a prática, dentro da nossa realidade”, conta Matheus.

Na avaliação do professor, a experiência será responsável por contribuir na formação do aluno. “Da mesma forma, vai qualificá-lo para a representação digital de espaços e objetos nos ambientes no Metaverso”, diz. 

Para Matheus, o domínio da nova tecnologia poderá abrir novos caminhos profissionais. “É importante nos aprofundarmos sobre o Metaverso, pois ele já está presente e com certeza trará inúmeras mudanças para o mundo atual, seja na economia ou em nossas relações sociais. Em termos de acessibilidade, por exemplo, com o uso de avatares, causa uma ruptura nas limitações físicas humanas, para uma sociedade mais igualitária”, avalia.

A primeira atividade do espaço da UCPel no Metaverso aconteceu durante as comemorações dos 30 anos do curso de Arquitetura e Urbanismo. 

 

Redação: Rita Wicth – MTB 14101