Pelotas de Papel retoma atividades com elaboração de maquetes e livros interativos


918  11 de agosto de 2020

Em seu terceiro ano de atividades, o projeto Pelotas de Papel, desenvolvido pelo curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Católica de Pelotas (UCPel), retoma a elaboração de maquetes em papercrafts e livros interativos envolvendo o patrimônio cultural da cidade. O material costuma participar de oficinas e exposições em eventos locais, como Dia do Patrimônio, Fenadoce e Feira do Livro.

Pelotas de Papel é vinculado ao programa de extensão Apoio às Práticas Patrimoniais, que foi renovado no primeiro semestre deste ano. “Os produtos desenvolvidos são estímulos à população para conhecimento e valorização do patrimônio histórico e cultural da cidade”, comenta a coordenadora do projeto, professora Daniele Luckow. 

Além do formato impresso, o projeto Pelotas de Papel firmou parceria com a Dimensio Design e Tecnologia, empresa responsável pelo desenvolvimento do aplicativo de Turismo Virtual. Alguns modelos em papercraft estão disponíveis on-line e, inclusive, para download. “A ideia é expandir a atuação com mais modelos e funcionalidades’, adianta Daniele.

 

Livros em produção

Para 2020, a equipe do projeto foi renovada e, atualmente, é formada por quatro professores e cinco alunos. Os novos participantes foram qualificados para a produção das maquetes e divididos em grupos responsáveis pela montagem, produção de livros e layout.

Alguns planos precisaram ser alterados em virtude da pandemia do novo coronavírus. “Enquanto não for possível tirar novas fotos, pois as maquetes são elaboradas através delas, vai se trabalhar na correção de alguns modelos antigos para gerar os papercrafts”, explica a coordenadora.

Três livros interativos se encontram em desenvolvimento. A escala urbana aparece em “Espaços públicos de Pelotas: desenhos e história”, a arquitetônica no “Pelotas ontem e hoje” e a escala do detalhe pelo “Pelotas entre-linhas”. Todos incorporam as maquetes em sua configuração.

O mais adiantado deles é o “Espaços públicos de Pelotas”, cuja revisão está em andamento, assim como a adaptação dos textos a uma linguagem acessível, proposta de diagramação e complementação do conteúdo. Os outros dois títulos seguem para produção de layout e definição de conteúdo.

 

Redação: Max Cirne

Deixe um Comentário

Seu e-mail não será publicado.

*
*