Alunos de Arquitetura fazem diagnóstico sobre o Palacete Antunes Maciel

O atual prédio da reitoria da Universidade Católica de Pelotas (UCPel) – conhecido também como Palacete Antunes Maciel – será o novo objeto de estudo dos acadêmicos da disciplina Atelier VII, do curso de Arquitetura e Urbanismo. Um levantamento técnico, incluindo diagnóstico de conservação, será elaborado pelos estudantes que, além de auxiliarem para a qualificação da edificação do século 19, poderão ainda complementar o aprendizado da teoria com a parte prática (clique na imagem acima e veja a galeria de fotos). 
Para analisar e propor soluções a possíveis problemas estruturais, 26 acadêmicos divididos em grupos ficarão responsáveis por elaborar documentos gráficos contendo descrição de plantas baixas, cobertura, cortes, fachada, plantas de esquadrias, detalhamentos técnicos, vistas interna e externa. Eles ainda apresentarão um diagnóstico do atual estado de conservação do edifício e resgatarão a história do prédio.
Conforme explica professora da disciplina e coordenadora do curso, Laura Zambrano, os acadêmicos cursaram disciplinas teóricas para aprender sobre as formas de realizar intervenções em prédios históricos. “Nessa parte prática,os grupos podem analisar as melhores alternativas para a realização de intervenções que contemplem as necessidades de utilização de seus usuários”, explica.  
O edifício de dois pavimentos foi projetado e construído por Artur Antunes Maciel, engenheiro formado na Bélgica. A construção, caracterizada como Ecletismo Historicista – estilo característico do século 19 -, era de uso residencial e caracterizada por sua forma prismática e pelo requintado trabalho de suas fachadas. 
De acordo com a professora da disciplina, o estudo deverá ser finalizado até o término do período letivo (no início do mês de dezembro) e será entregue para a Universidade. Como o prédio já tem uma utilidade definida (não precisará de novas sugestões para a sua utilização), serão entregues possibilidades de adequações para qualificar os espaços e sua funcionalidade para usuários. 
Além do prédio da UCPel, a Cotada, o Castelo Simões Lopes Neto, o antigo almoxarifado da Prefeitura, a antiga Câmara de Vereadores, o Theatro Guarany, o Palacete Payssandu, o Clube Caixeral, os casarões Seis e Oito da Praça Coronel Pedro Osório e o Mercado Público já contaram com projetos de levantamento arquitetônico elaborados por acadêmicos da Católica.  
Experiência na conservação do patrimônio 
Por ter muitos prédios antigos, Pelotas se torna um bom mercado para arquitetos e urbanistas que tenham interesse em se aprofundar na área de restauração. Para a estudante Camila Porciúncula, o trabalho na edificação será a oportunidade de associar dados históricos com elementos concretos. “Como pretendo atuar na cidade, certamente irei me deparar com outras edificações que necessitem desse tipo de conhecimento”, opina.
Na avaliação da acadêmica Carolina Schneider, a disciplina permite reunir teoria com prática, o que proporciona para os estudantes o embasamento necessário para uma atuação com propriedade. “Tivemos acesso a metodologias de como deve ocorrer o trabalho em construções históricas. Juntamente com o acompanhamento da professora Laura, optaremos pelas melhores alternativas para sugerir alterações necessárias para essa edificação”, complementa a acadêmica Giulia Anjos.  

foto da notícia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *